Cinco experiências dignas de um conto de fadas na Alemanha

Quem é que disse que cavaleiros empunhando espadas e princesas estragas com mimos só existem em livros de histórias de encantar? Viva cinco experiências de contos de fadas na vida real, graças a estas sugestões cheias de castelos, fortalezas e floresta, no reino alemão da Renânia-Palatinado... 

Castelo de Eltz

Digno de uma princesa: Castelo de Eltz

O Castelo de Eltz fica num vale verdejante acima do rio Mosela, entre Koblenz e Trier. O seu apelo como cenário de conto de fadas é tão profundo que é difícil não imaginar que vai dar de caras com a Bela Adormecida ou com o próprio Rumpelstiltskin a tecer uma fiada de ouro no sótão.

 

A sua construção data de 1157, o período por excelência dos cavaleiros de armaduras reluzentes e de nobres conquistas. O seu nome vem do riacho que corre perto do castelo para os vales que o rodeiam.

 

As boas notícias são que não precisa de uma tiara ou de um título nobiliárquico para se aventurar por entre as suas muralhas. O castelo está aberto ao público, com visitas guiadas de 45 minutos, que o vão levar pelos aposentos fortificados da actual família Eltz. Os espaços de estar e de repouso, o salão dos cavaleiros, a sala de caça e a cozinha foram preservados e mobiliados com peças autênticas e originais. Até há uma câmara que contém tesouros da era medieval, assim como vários objectos preciosos, concebidos por ourives contemporâneos.

 

O Castelo de Eltz está aberto todos os dias, de 1 de Abril a 1 de Novembro.  Para mais informações, visite Burg Eltz

Castelo de Marksburg

Construído para durar

Logo acima da vila de Braucach, presidindo o mundo como a jóia da coroa do Reno, o Castelo de Marksburg é o único castelo medieval da região da Renânia-Palatinado que nunca foi destruído por guerras ou batalhas. Datado de 1117, enverga com orgulho esta distinção, em conjunto com o estatuto de Património Mundial do Desfiladeiro do Reno, da UNESCO.

 

A sua fortaleza ergue-se a uma altura de 40 metros - nem o pior e mais feroz dragão de todos teria hipótese de fazer o que fosse...

 

O Castelo de Marksburg está aberto todo o ano, das 10h00 às 17h00 (das 11h00 às 16h00 de 5 de Novembro a 15 de Março).  Durante os meses de Verão, há visitas guiadas diárias em inglês, entre o meio-dia e as 16h00.

 

O custo da entrada para adultos é de 6 €, de 5 € para estudantes e de 4 € para crianças. 

Castelo de Bernkastel-Kues

A cura para os males que o afligem: Castelo de Bernkastel-Kues

Tenha as migalhas de pão à mão: vai precisar de um plano sólido antes de ir passear pelas ruas calcetadas desta vila medieval, em particular se for em busca do rasto do “Médico de Bernkastel” [“Bernkasteler Doctor”].

 

Reza a lenda que, no século XIV, um manda-chuva local, conhecido por Boemundo II, príncipe eleitor de Trier, se viu atacado por uma grave febre. Por causa disso, dedicou todos os seus esforços à procura de uma cura para a sua doença.  Quando estava prestes a desistir, um misterioso viticultor ancião apareceu-lhe à porta de casa com um barril do seu melhor vinho envelhecido. O príncipe curou-se milagrosamente assim que bebeu um gole desse vinho. Para celebrar a cura, Boemundo II atribuíu à vinha o título honorífico de “Médico de Bernkastel”.

 

Actualmente, quem visita BernKastel-Kues pode celebrar este acontecimento com uma visita guiada de 90 minutos através do centro histórico, acompanhado de um guia vestido em trajes da época.

 

A visita inclui dois copos de vinho Bernkasteler Doctor, com um custo de 9 €. Para mais informações, visite bernkastel.de

Castelo de Cochem

Era uma vez uma vila que dava pelo nome de Cochem...

Com as suas casas de madeira e um castelo à moda da Cinderela no topo de um monte, a única coisa que falta à encantadora vila de Cochem é um bando de passarinhos azuis, como nos desenhos animados.  Localizada numa das partes mais espectaculares do Vale do Mosela, Cochem tem encantado os seus visitantes desde a época dos Romanos.

 

Curiosamente, a dádiva mais generosa que os Romanos deixaram foi o vinho, que ainda hoje é produzido nas encostas soalheiras da região da Renânia-Palatinado.

 

Não se sabe ao certo se o vinho teve influência na extravagante arquitectura do Castelo de Cochem. No entanto, o que é certo é que os resultados são algo de verdadeiramente admirável.  Se tiver oportunidade, tente fazer com que a sua visita coincida com a altura em que o falconeiro-residente solta a sua ave, ou então aproveite para dar um passeio pela vila com o guarda-nocturno do castelo. É puro teatro.

 

Para informações sobre visitas guiadas e sobre o castelo, visite o sítio web oficialdo Castelo de Cochem. 

Floresta do Palatinado

Sapatinhos de cristal não recomendados

É melhor trocar os sapatos de cristal por um bom par de botas de montanha, se aceitar o desafio do trilho de 143 km do trilho da Floresta do Palatinado, que o vai levar por bosques intactos e formações rochosas.

 

A maior parte das pessoas começa o trilho em Kaiserslautern, cobrindo nove etapas e parando no Castelo de Berwartstein, que é o epíteto de um castelo de conto de fadas. Ali, ainda hoje os viajantes cansados ainda são recebidos com banquetes medievais.  Convenientemente, o trilho termina do Portão do Vinho Alemão, em Schweigen, que é o sítio ideal para tomar um copo de vinho Riesling local.

 

Para mais informações sobre os trilhos da Floresta do Palatinado, visite o sítio web da Alemanha Romântica

Como visitar a região da Renânia-Palatinado

Aeroporto de Frankfurt-Hahn é a porta de entrada para a região da Renânia-Palatinado.  Esta zona da Alemanha é conhecida como “a região romântica”, graças à abundância de castelos, palácios e vilas medievais.  É também famosa pelo seu vinho e por ser um destino popular para quem gosta de trilhos de montanha e expedições de bicicleta.

Nesta região há um bom serviço de autocarros e de ligações ferroviárias. Além disso, a maior parte dos centros urbanos tem serviços de aluguer de bicicletas.  Se estiver a planear uma visita mais detalhada a esta região, é recomendável que alugue um carro

 

- Fiona Hilliard