Como tirar o melhor partido de uma viagem a Berlim

Não outra cidade como Berlim. Não importa quem é, do que gosta, ou o que procura numa escapadinha, Berlim tem tudo aquilo que deseja. 

 

Se é um entusiasta de história, estará no seu elemento; não vai conseguir parar de dançar no Berghain, se é louco por música techno; e, se a sua paixão é gastronomia, é bem capaz de decidir mudar-se para lá. Não há mesmo nenhuma cidade como Berlim. 

 

Aqui tem algumas dicas para tornar a sua estadia em Berlim ainda melhor.

De transportes

Se está a planear ver o máximo que puder de Berlim durante a sua estadia, vale a pena então investir num Berlin Welcome Card.

 

Berlim é uma cidade muito grande, com imensos bairros para conhecer, tarefa que vai ser difícil se tiver de chegar a todos eles sem usar o (excelente) sistema de transportes públicos.

 

Este cartão de viagens cobre todos os transportes públicos da cidade, incluindo ainda um pequeno guia, assim como descontos e concessões em mais de 500 lojas, atracções, teatros e restaurantes em Berlim.

 

O preço começa nos 19,90 € para 48 horas, mas pode sempre adicionar mais dias, ou até incluir o transporte para o aeroporto e eventuais entradas em museus. Basta escolher aquilo que lhe for mais conveniente.

Berlin Welcome Card

Ver as atracções famosas:

Criar o seu próprio itinerário turístico é uma das principais razões para viajar de transportes público na cidade.

 

Os autocarros 100 e 200 levam-no/a a todas as principais atracções da cidade, sendo uma excelente forma de riscar da lista os principais sítios que quiser visitar.

 

Comece em Alexanderplatz, depois de visitar a Torre de TV; em seguida, passe pela Porta de Brandeburgo, o Parlamento, a Catedral de Berlim [Berliner Dom], Schloßplatz, a Ilha dos Museus, a Coluna da Vitória, a Igreja Memorial Imperador Guilherme, o Jardim Zoológico de Berlim e muitos outros.

 

Ah, e se puder, experimente sentar-se nos lugares da frente do primeiro andar do autocarro. As janelas são enormes e limpas, proporcionando uma vista fantástica, à medida que o autocarro circula pela cidade.

Torre da TV

Se quiser visitar a Cúpula do Reichstag [o edifício do Parlamento alemão], vai ficar agradavelmente surpreendido/a, pois pode fazê-lo gratuitamente. Contudo, é necessário reservar.

 

Para isso, só precisa de se dirigir ao quiosque, que fica do outro lado da rua do edifício e fazer a sua reserva. Não se esqueça de levar um documento de identificação com fotografia, indispensável para marcar a sua visita.

 

Há normalmente uma fila no centro de marcações, mas anda muito rapidamente e vale a pena esperar.

be Berlin Bus

Tão importantes como os marcos emblemáticos da cidade, há outros locais mais pequenos a não perder, como o Checkpoint Charlie (em Friedrichstraße 43-45) e o Memorial do Holocausto (perto da Porta de Brandeburgo).

 

Também não pode deixar de visitar a Galeria Eastside, em Mühlenstraße, na zona de Friedrichshain-Kreuzberg, onde poderá ver como um símbolo de separação e opressão foi transformado em algo que representa beleza e esperança.

O que comer

Comer em Berlim é um prazer para o paladar e para a carteira, e ruinoso para a sua linha. No entanto, para quê preocupar-se com isso quando a comida é tão boa?

 

O currywurst é a comida de rua clássica de Berlim, sendo que o melhor que provei foi no Curry 36, mesmo ao lado da estação de metro de Mehringdamm.

 

O Curry 36 fica convenientemente a 15 metros da mais famosa tasca de kebabs, a Mustafas. Se não tiver vergonha se empanturrar (como eu), pode deliciar-se com a comida em ambos os locais, numa excursão glutona (tal como fiz).

 

A existência de uma grande comunidade turca em Berlim é garantia de que há imensos sítios onde pode comer kebabs excelentes.

 

Por isso, não tenha receio de experimentar alguns dos restaurantes menos conhecidos, quanto mais não seja porque não vai ter de esperar tanto na fila pela sua comida.

Currywurst

Também vai encontrar em Berlim excelente comida vietnamita. Tive a oportunidade de comer uma óptima sopa de noodles no restaurante Miss Saigon, em Kreuzberg.

 

As grandes e saborosas tijelas de pho custam entre 6 a 9 €, sendo particularmente reconfortantes após um dia frio na cidade.

 

Se preferir um hambúrguer, pode dar uma de turista e ir ao restaurante Burgermeister. Para já, vai ser provavelmente a única vez que vai comer um hambúrguer numa antiga casa-de-banho pública (não se preocupe, já não é um WC público).

 

Para além disso, os hambúrgueres ali são realmente muito bons. Vá até à estação de comboios de Oberbaumstraße e faça uma visita ao Mustafas; no entanto, prepare-se para esperar na fila.

 

Mas não se preocupe! Isso só quer dizer que vai estar ainda com mais apetite quando pedir a sua comida, sendo que vai apreciar ainda mais as fantásticas batatas fritas com chili e queijo que lhe vão servir.

Burgermeister

Não tenha receio de explorar locais menos conhecidos do roteiro gastronómico. Nunca se sabe que pérolas poderá encontrar.

 

A minha melhor descoberta foi o Arminius-Markthalle (a 10 minutos do Jardim Zoológico de Berlim, no U9), onde vai encontrar um enorme mercado em open space com variados restaurantes, que servem de tudo, desde fish and chips a churrascos à moda do Alabama.

 

Trata-se de um sítio realmente encantador, com o ambiente perfeito para jantar. Para além disso, a comida é tão boa que eu acabei por lá ir duas vezes.

Explore um pouco mais além

Para além das atracções a riscar da lista que referi anteriormente, tente visitar alguns dos locais e bairros menos conhecidos de Berlim. Na minha opinião, se o fizer, vai sentir que adquiriu uma perspectiva mais completa da cidade.

 

A Visita Alternativa Grátis a Berlim é uma excelente forma de ver algumas destas atracções. É uma visita guiada gratuita, embora aconselhe a deixar uma gorjeta ao seu guia, se gostar.

 

Esta visita guiada vai permitir-lhe entrar um pouco no mundo das subculturas de Berlim e da sua história alternativa.

 

As visitas variam conforme o guia e o dia, mas se o seu guia não o/a levar ao Mercado de Hackescher, certifique-se de que o visita, para poder apreciar as obras de arte e passear pelos museus, lojas, cafés, pelo cinema... e pelo assustador e engraçado Monster Kabinett.

Mercado de Hackesecher

O complexo RAW-Gelände é mais um local que vale a pena explorar. Trata-se de uma estação de reparação de comboios em ruínas, que foi transformada num espaço fervilhante com arte urbana, um mercado de rua semanal, um skate park interior e discotecas muito animadas (incluindo a mais pequena discoteca do mundo, dentro de uma cabine telefónica dourada).

 

Fica a uma paragem de distância da Galeria Eastside e a uma curta caminhada a pé de Friedrichshain, zona que está repleta de pequenas e encantadoras lojas, bares, cafés e restaurantes, que merecem totalmente uma visita.

 

Os aficionados da gastronomia e de pechinchas vão adorar em especial o Mercado Turco, em Kreuzberg. Este mercado decorre às terças e sextas-feiras, entre as 11 da manhã e as 18.30.

 

Nas suas bancas, vai encontrar de tudo, desde carne fresca e chás de ervas a roupas e artigos de recordações. É uma sobrecarga sensorial no bom sentido.

 

Vale totalmente a pena gastar 2 € numa fatia de gözleme (uma espécie de panqueca turca recheada com queijo e espinafres). É saborosa, gordurosa e fantástica.

Gözleme

Há imensos sítios onde pode dizer adeus ao dinheiro que tanto lhe custou a ganhar. No entanto, se quiser encontrar lojas verdadeiramente interessantes, onde pode encontrar artigos que não são vendidos na H&M ou na Primark, vá às zonas de Kreuzberg, Friedrichshain ou explore os arredores do Mercado de Hackesecher.

E que mais?

É aconselhável levar dinheiro consigo, já que muitos sítios em Berlim não aceitam pagamentos com cartões. Por isso, se está habituado a usar o Multibanco para tudo, desde cafés a roupa, é melhor mudar a bitola e usar dinheiro para pagar, de forma a evitar aborrecimentos.

 

A maior parte das lojas também fecha aos domingos. Por isso, se quiser ir às compras, enquanto visita Berlim num fim-de-semana, certifique-se de que o faz num sábado.

 

- Dee Murray