O Melhor de Budapeste

Budapeste é uma cidade de se tirar o fôlego e não digo isto de ânimo leve. É uma bela cidade, espantosa e opulenta. É bela na mesma escala de Paris ou Roma.

 

Por mais bela que esta cidade espectacular seja, é também incrivelmente barata. É possível visitá-la ou desfrutar de um pequeno luxo ali sem dar cabo do seu orçamento. Budapeste também é grande, com muito para ver e fazer.

 

Em três dias, ficámos exaustos ao tentar ver tudo o que pudemos. Facilmente regressaria e passaria mais três dias inteiros, cansando-me novamente a explorar um conjunto de atracções completamente novas.

 

Budapeste é uma cidade fascinante e maravilhosa. Eis algumas sugestões do melhor que pode fazer ali.

Em direcção aos montes

Os montes que flanqueiam o Danúbio do lado ocidental proporcionam-lhe mais do que um ponto de vista excepcional. Todos eles merecem uma visita.

 

Se estiver bom tempo, o curto caminho até à Cidadela é um puro deleite, com bastantes miradouros pequenos, onde pode apreciar excepcionais vistas panorâmicas da cidade.

 

O Bastião dos Pescadores é provavelmente o meu preferido, por algumas razões. Primeiro, para lá chegar, pode apanhar o funicular, uma antiguidade encantadora que o leva da base do monte, mesmo ao lado da Ponte das Correntes, até ao Castelo de Buda.

 

A viagem de ida e volta custa menos de 6€. É um prazer ver Budapeste desenrolar-se perante si, à medida que a carruagem sobe. Contudo, nada se compara à vista no topo do Bastião, a uns minutos a pé da estação superior do funicular.

 

A segunda razão é o próprio Bastião, que é algo saído de um conto de fadas.

 

Construído no final do século XIX, em celebração do 1000º aniversário do Estado Húngaro, não era para ser nada mais do que um belo exemplo de arquitectura neo-romântica e um ponto de observação perfeito, do qual se podia ver toda a cidade.

 

Tem servido o seu propósito de forma admirável. Se puder lá ir e ver o nascer do sol, recomendo-lhe que o faça. No entanto, a vista e a grandeza de Budapeste vão fazer senti-lo pequeno a qualquer hora do dia.

Ir ao fundo da cidade

Do alto dos montes para as entranhas de Budapeste, uma aventura espeleológica é uma forma incrível de descobrir todo um lado diferente de Budapeste.

 

Apenas a 15 minutos do centro da cidade, a Caving.hu oferece visitas guiadas em cavernas, a céu aberto ou versões mais arrojadas.

 

Resolvemos arriscar-nos com a versão mais extrema e passámos três horas nas profundezas de cavernas escavadas pelas famosas águas termais de Budapeste.

 

Não é uma experiência que recomende a quem sofre de claustrofobia. É preciso rastejar e trepar muito, vai haver pelo menos um puxão de roupa e vai passar bastante tempo debaixo da superfície.

 

Os guias são exploradores incrivelmente experientes e conhecem o caminho na palma das suas mãos. Por isso, mesmo que sinta algum nervosismo (justificado) lá em baixo, vai ficar imediatamente à vontade para poder desfrutar desta experiência espectacular.

Um banho de água quente

Se for explorar cavernas, não há nada melhor para fazer depois da sua aventura do que ir a uma das maravilhosas termas de Budapeste.

 

Se não for explorar cavernas, também não há nada melhor para fazer do que ir a uma das maravilhosas termas de Budapeste.

 

Fomos às Termas Rudas, um spa com 450 anos, que foi construído na era turca, mas entretanto completamente modernizado.

 

Agora, inclui uma grande piscina, uma piscina exterior de água termal num terraço e seis outras piscina na parte velha das termas. Também tem outras piscinas, saunas, salas com terapia de sal, massagens terapêuticas e outros serviços de bem-estar.

 

As termas ainda têm um café e um restaurante, por isso pode facilmente passar lá todo o dia e relaxar como nunca relaxou na sua vida...

Comer como um rei

Referi anteriormente que, em Budapeste, pode dar-se a um pequeno luxo sem dar cabo do seu orçamento.

 

Recomendo que o faça no Costes Downtown, um restaurante premiado com estrelas Michelin, do mesmo grupo do famoso restaurante Costes da cidade.

 

De uma forma mais clara: se for apreciador de gastronomia e se estiver em Budapeste, é obrigatório que faça uma peregrinação a um destes restaurantes.

 

O Costes Downtown é a versão ligeiramente menos formal do Costes, mas não se engane: ali, levam a comida tão a sério como no outro.

 

Estamos a falar de pura arte gastronómica: pratos atrás de pratos que quase dão pena de comer, de tão belos... e ao mesmo tempo tão deliciosos que a sua beleza se torna completamente secundária.

 

Cada um dos ingredientes e cada elemento de cada prato têm um propósito e a combinação de sabores e texturas é genuinamente sublime. Sim, ainda estou a sonhar com essa refeição.

Faça um cruzeiro fluvial

O Danúbio define Budapeste tanto como o território de cada lado do rio. Fazer um cruzeiro fluvial é a forma perfeita de desfrutar disso.

 

Vai poder apreciar a grandeza da cidade de um ponto de vista completamente novo. Se optar pelo programa “jantar com espectáculo”, ainda se vai entreter muito durante o passeio.

 

A Silverline faz um cruzeiro de três horas com um jantar e um espectáculo, que pode consistir num concerto de piano ou numa dança tradicional com uma opereta.

 

É-lhe servido um copo de champanhe à chegada, uma refeição de quatro pratos, podendo apreciar uma vista incrível da bela arquitectura de Budapeste, iluminada em contraste com o céu nocturno.

 

É um momento bastante interactivo e divertido. Segundo a minha experiência pessoal, se tiver bebido vinho suficiente, é bem capaz de dar consigo de pé, dançando ao som de folclore húngaro.

Descanse num lugar encantador

Tal como acontece com os restaurantes, Budapeste oferece aos seus visitantes alojamento de alta qualidade a preços muito razoáveis. Ficámos no encantador Hotel Palazzo Zichy, no Bairro dos Palácios.

 

É um sítio cheio de estilo com quartos muito bonitos, camas confortáveis, um ginásio e sauna. O pequeno-almoço consiste num buffet verdadeiramente fantástico, que inclui legumes mediterrânicos grelhados e tudo.

 

O hotel tem um espaço comum onde pode tomar café e água mineral gratuitamente durante o dia.

 

No que diz respeito a hotéis, são os pequenos detalhes que fazem a diferença. O Palazzo Zichy acertou maravilhosamente em todos eles.

Perca-se no salão de jogos

Não é preciso ser um viciado em jogos para apreciar a colecção de máquinas de flippers e de máquinas de salões de jogos, em exposição no Flippermuzeum de Budapeste - mas claro que isso ajuda!

 

Ainda assim, mesmo quem tem um interesse superficial por flippers e jogos de vídeo não consegue evitar ser absorvido por este covil de luzes que piscam e entretenimento.

 

Desde os flippers vintage até alguns dos mais famosos jogos e máquinas de sempre, este museu tem-nos todos para que os admire e, mais que isso, para que os jogue!

 

A entrada custa menos de 10€, podendo jogar à borla em todas as máquinas. É o museu. Mais divertido. De sempre!

Tomar um copo

Budapeste é conhecida pelos seus bares em ruínas, que surgiram durante a última década em edifícios abandonados por todo o bairro judeu. Estes bares tornaram-se um ex-libris da conhecida e animada noite de Budapeste.

 

Fomos beber um copo a um dos mais conhecidos, o Szimpla Kert. O Szimpla foi o pioneiro dos bares em ruínas de Budapeste.

 

Trata-se de uma antiga fábrica de fogões que foi transformada num dos antros mais icónicos da cidade.

 

É muito mais do que um sítio onde pode tomar um copo, permanecendo intimamente ligado à comunidade local, tanto que até tem um dos melhores mercados da cidade.

 

Vale a pena visitar este bar pelos copos baratos, mas na verdade, o que o vai fazer ficar é a decoração um pouco louca e o ambiente totalmente relaxado. É um local muito turístico, mas é divertido e colorido. De certeza que se vai divertir.

 

- Dee Murray